Controle de Processos

Aqui você poderá acompanhar o andamento atualizado de seu processo. Para saber mais, contate-nos.

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Newsletter

Inscreva-se. Nós do Furno Petraglia Advocacia teremos o prazer de mantê-lo informado acerca das novidades jurídicas que lhe interessem. Seu cadastro é muito importante para nós.

Endereço

Rua Bittencourt , 141 , Conj. 35
Centro
CEP: 11013-300
Santos / SP
+55 (13) 3219-1145+55 (13) 3223-3386

Comissão da OAB Piauí solicita retomada presencial das audiências de custódia

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, por meio da Comissão de Defesa das Prerrogativas do Advogado, reuniu-se com o juiz da Central de Inquéritos do Fórum Cível e Criminal de Teresina, Valdemir Ferreira Santos. Este setor é o responsável pela realização das Audiências de Custódia. Foram levadas algumas solicitações em favor da advocacia criminal. E a principal delas é a retomada da realização das audiências de custódia de forma presencial. Já há uma decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) neste sentido.  O presidente da Comissão de Defesa das Prerrogativas do Advogado, Albelar Prado, esclareceu alguns pontos. “O juiz informou que até o dia 15 ou 17 de outubro, as audiências de custódia retornarão à forma presencial e, excepcionalmente, irão acontecer na forma virtual, como nos casos em que o juiz que decretou a preventiva ou temporária viva em outra cidade ou em outro estado”, destacou ele. “Outra questão levada foi a necessidade que essas audiências sejam feitas pelo Juízo que ordenou a prisão preventiva ou temporária, para que o julgador seja competente para despachar os pedidos ao fim daquelas. Também foi solicitada a padronização do procedimento de realização das audiências de custódia, para evitar que juízes que não sejam da área criminal não realizem as mesmas, e que as decisões sejam dadas logo que termine a audiência do acusado”, informou.  Albelar Prado assinou ofício contendo essas solicitações que, resumidamente, são a retomada presencial das audiências de custódia, destacando a necessidade de que elas sejam feitas pelo Juízo que ordenou a prisão preventiva ou temporária, e a padronização do procedimento de realização dessas audiências. Ele ressalta que existe uma portaria informando como procede a padronização das audiências de custódia e que todos os juízes têm que obedecer a referida portaria, sendo que alguns dos magistrados de finais de semana tem realizado os trabalhos de forma persa.
04/10/2022 (00:00)
Visitas no site:  9109213
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia