Controle de Processos

Aqui você poderá acompanhar o andamento atualizado de seu processo. Para saber mais, contate-nos.

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Newsletter

Inscreva-se. Nós do Furno Petraglia Advocacia teremos o prazer de mantê-lo informado acerca das novidades jurídicas que lhe interessem. Seu cadastro é muito importante para nós.

Endereço

Rua Bittencourt , 141 , Conj. 35
Centro
CEP: 11013-300
Santos / SP
+55 (13) 3219-1145+55 (13) 3223-3386

EJUS promove o curso ‘Procedimentos no processo penal’

Aula inaugural foi proferida por Renan Barboza de Faria.       A Escola Judicial dos Servidores (EJUS) iniciou nesta terça-feira (16) o curso Procedimentos no processo penal, com aula inaugural ministrada pelo assistente jurídico Renan Barboza de Faria. O curso é promovido na sede da EJUS, sob a coordenação dos servidores Walter Salles Mendes e Miguel da Costa Santos e teve 1.021 inscritos nas modalidades presencial e a distância.     Em sua exposição, Renan Faria discorreu sobre o procedimento comum ordinário, esclarecendo sobre oferecimento da denúncia ou queixa, análise preliminar da acusação, citação, resposta à acusação, análise da resposta à acusação, audiência de instrução, debates e julgamento e sentença, entre outros aspectos.     Ele esclareceu a diferença entre processo e procedimento, enfatizando que ambos têm conceitos diferentes, mas estão intimamente ligados. Recordou que inicialmente o conceito de processo era tão importante quanto o direito material, mas que esse era visto como mera relação jurídica entre autor, réu e juiz, pautada por posições jurídicas positivas ou negativas. Ele lembrou que posteriormente foi dada ênfase ao procedimento, que definiu como uma sequência de atos que visam a obtenção de um provimento jurisdicional, salientando que ele é a sustentação do processo.     Renan Faria abordou casos de conexões de crimes, citando como exemplo um réu processado por tráfico de drogas e moeda falsa. Para o primeiro crime, esclareceu que a Lei de Drogas (Lei 11.343/06) prevê um procedimento especial, com defesa preliminar e notificação. Já o segundo possui procedimento comum. E enfatizou que na compatibilização desses crimes, deve-se aplicar o procedimento mais completo (caracterizado pelo maior número de fases, em que há maior garantia de defesa do acusado), no caso o procedimento comum ordinário.     O curso terá mais quatro aulas, em que serão discutidos o procedimento sumário, o procedimento nos crimes contra a propriedade imaterial, o procedimento nos crimes de competência do júri e a atividade probatória.            imprensatj@tjsp.jus.br
21/04/2019 (00:00)
Visitas no site:  1434931
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia