Controle de Processos

Aqui você poderá acompanhar o andamento atualizado de seu processo. Para saber mais, contate-nos.

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Newsletter

Inscreva-se. Nós do Furno Petraglia Advocacia teremos o prazer de mantê-lo informado acerca das novidades jurídicas que lhe interessem. Seu cadastro é muito importante para nós.

Endereço

Rua Bittencourt , 141 , Conj. 35
Centro
CEP: 11013-300
Santos / SP
+55 (13) 3219-1145+55 (13) 3223-3386

Em encontro virtual, o presidente do TJTO, desembargador João Rigo, vota a favor de reformas no Estatuto do Conselho dos Tribunais de Justiça

O presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargador João Rigo Guimarães, participou, na tarde desta terça-feira (2/3), de encontro virtual no qual foi discutida a reforma do Estatuto do Conselho dos Tribunais de Justiça, cuja proposta de mudanças foi feita pelo seu presidente, o atual presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJRS), desembargador Voltaire de Lima Moraes. Entre outras propostas apresentadas pelo presidente, estava a da criação de um conselho consultivo composto por ex-presidentes com direito voz. "Nossa proposta busca a valorização do trabalho dos ex-presidentes do Conselho na defesa do Judiciário", ressaltou Voltaire de Lima Moraes. O desembargador destacou ainda que as propostas também abrem caminho para uma possível reunificação do Conselho com o Colégio de Presidentes dos Tribunais de Justiça (Codepre) criado em 2020, motivado, entre outros pontos, pela retirada do poder de voto dos ex-presidentes do Conselho. A proposta foi acompanhada pela maioria dos presidentes, entre os quais o desembargador João Rigo. "Concordo com os acréscimos e alterações propostos no Estatuto que buscam a união no sentido de fortalecer o Poder Judiciário", frisou o presidente do TJTO. A votação foi encerrada sem definição em virtude de pedido de vista feito pelo desembargador Edson Ulisses Melo, presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), sob o argumento de querer estudar melhor o Estatuto.
02/03/2021 (00:00)
Visitas no site:  4901133
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia